• Andréa Cruz

Seguro de responsabilidade civil na área da saúde.- Preciso tê-lo?


Você já deve ter se feito esta pergunta algumas vezes, não?


"Imagina, já trabalho há anos e nunca precisei..". ou "Estou recém me formando, não preciso ainda..."

E assim nosso cérebro vai buscando desculpas para deixar para depois.


Quando escolhemos nossa profissão, infelizmente, não pensamos nas partes negativas que ela pode nos trazer, tanto profissionalmente, quanto psicologicamente, mas somos seres humanos e seres humanos são passíveis de erros. As vezes acordamos num dia ruim, todos têm, outras vezes somos responsáveis por outros profissionais que não estão tão bem preparados e somos afetados indiretamente, e também existem pacientes mal intencionados, pois é, infelizmente têm. Corremos riscos todos os dias, essa que é a verdade.


Na área da saúde, assim como em qualquer outra área, você, profissional, acaba ficando sujeito a imprevistos. E muitas das vezes esses imprevistos deixam vestígios irreversíveis. Com o atual momento então, em meio a uma pandemia, está mais preocupante do que nunca, os profissionais da saúde estão trabalhando no limite, o nível de stress está imenso, para todos, além de, na maioria das vezes, as próprias condições dos hospitais deixa a desejar, com falta de materiais e sobrecarga de horários.

Outro grande problem passou a ser a judicialização dos processos. Hoje, pelos mínimos detalhes se corre para o Google para ver se há condições de impor um processo, processo esse que pode acabar com uma carreira, um nome que foi construído com muitos anos de trabalho.


O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) apontou que, entre 2005 e 2015, houve aumento de 1600% no número de processos judiciais por erro médico no país. Em 2017, o Brasil atingiu 26 mil processos contra médicos por supostos erros de conduta durante os atendimentos. Esse número é alarmante, tanto em relação à proteção da saúde humana, quanto à proteção dos profissionais da medicina. Afinal, a abertura de um processo disciplinar ou judicial não determina se o médico adotou uma conduta errada. É preciso que a investigação e o julgamento sejam concluídos. No entanto, frente aos futuros pacientes e à sociedade, a imagem do profissional pode ficar manchada.


E por que médicos e dentistas sofrem processos?


O erro médico é definido com um defeito na prestação de serviço que cause dano ao paciente.

  • Negligência, imperícia ou imprudência (60,3%)

  • Problemas na relação médico-paciente (9,5%)

  • Faltas éticas na relação entre médicos (5,7%)

  • Publicidade médica (4,7%)

  • Exercício ilegal da profissão (4,2%).

No Brasil, a cada hora, são abertos três processos contra médicos. Em mais da metade dos casos, os profissionais são considerados culpados. Por isso, você precisa proteger sua imagem e a imagem da sua clínica ou hospital. Existem práticas que aumentam sua segurança e, também, a segurança do paciente.

Algumas práticas que ajudam a evitar processos contra médicos são:

  • Manter o prontuário completo e seguro;

  • Estabelecer boa relação médico-paciente;

  • Fazer uma boa ficha de anamnese;

  • Registrar as decisões do paciente, principalmente, quando ele não seguir suas indicações;

  • Não atender por telefone.


Realmente a relação entre profissional e paciente mudou, a legislação brasileira já reconhece o atendimento médico como uma prestação de serviços, que se submete às regras do Código de Defesa do Consumidor.

Por isso, o número crescente de processos contra médicos atinge os profissionais em diferentes âmbitos.

Para sair dessa, os profissionais precisam de uma boa defesa o que já aponta para gastos consideráveis com honorários, perícias, custas judiciais, etc. Enfim, uma equipe de profissionais qualificados para a melhor orientação é o melhor caminho para dormir mais tranquilo, com conforto e sem sustos, o que um bom seguro de responsabilidade civil pode lhe dar.

Para saber mais , deixe uma mensagem.




19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo